Grupo Vínculo - Apoio voluntário especializado para cuidados com a vida

"Mitos da Gestação e Parto"



"O Mito é um nada que é tudo" 
(Fernando Pessoa)

Quem nunca ouviu frases sobre o que pode ou não fazer na gestação, parto e resguardo?

"Barriga pontuda é menino e redonda é menina"; "Se a mãe tem azia o nenê nasce cabeludo"; "Sexo na gestação machuca o bebê"; "Grávida tem que comer por dois"e assim vai ...

Alguns exemplos mais comuns citaremos aqui e explicaremos, se alguém quiser colocar em comentário mais "Mitos" ou "Dúvidas" fiquem a vontade, pois são muitos nós sabemos !!!

FALTA DE DILATAÇÃO:
- Pergunte para quem teve ESTE como motivo para uma cesária...

É bem provável que a resposta será mais ou menos assim:
Entrei em trabalho de parto, começou a doer muito, fui ao hospital, fizeram toque e colocaram numa maca (deitada) aguardando que a dilatação acontecesse (quando não colocam TEMPO para isso acontecer..." Se você não dilatar até 12 horas, será cesária") e fizeram alguns (vários) toques, e a dilatação não progredia, deu as 12 horas e fui para centro cirúrgico frustada (ou aliviada, depende!)

Explicação: A dilatação do colo do útero é um processo passivo que só acontece com as contrações uterinas. Tecnicamente não existe falta de dilatação em mulheres normais. O parto é ativo, mas não temos nenhum botão de "PLAY"! Temos que nos ajudar, ajudar nosso corpo e nosso bebê!! Ser protagonista!! E ainda assim, temos que respeitar o tempo normal do nosso organismo! Um parto em três horas é algo incomum!!!
Segundo a lei do esfíncter de Ina May, quando o esfíncter está em processo de abertura, pode ser fechado repentinamente se a pessoa se altera, assusta, é humilhada ou consciente de si mesma. Por que? Os níveis altos de adrenalina na corrente sanguínea não favorecem (e muitas vezes impedem) a abertura de esfíncteres. Estes fatores inibidores são uma razão importante pela qual as mulheres nas sociedades tradicionais normalmente escolhem outras mulheres, exceto em circunstâncias extra ordinárias, para acompanhá-las e auxiliá-las durante a dilatação e o parto. Também importante dizer, segundo Ina May,  estado de relaxamento da boca e a mandíbula está diretamente relacionado à habilidade do cérvix, da vagina e do ânus para se abrirem completamente, em outras palavras: Boca aberta = Cérvix aberto Garganta aberta = Vagina aberta. É quase impossível parir com eficácia com os lábios apertados e a garganta fechada. Pode tentar fazê-lo agora mesmo… quando relaxa a mandíbula, abre a boca e a garganta, as nádegas se relaxam automaticamente e você se afunda na cadeira. Ina May fala dos benefícios dos beijos, e de manter a boca e os lábios soltos e abertos. Beijar também provoca a secreção de ocitocina e outros hormônios do amor que elevam a tolerância à dor e aceleram o parto. 

Então concluímos que uma mãe sob pressão, num ambiente hospitalar (nada confortável), numa maca sem apoio de ninguém, em jejum, com pessoas desconhecidas e ainda te tocando a todo momento... dificilmente terá uma progressão de trabalho de parto MESMO!

PARTO SECO (ROMPEU A BOLSA)

O Primeiro mito quando acontece isso é CORRER desesperadamente para o hospital, pois o bebê "já" vai nascer ou o medo do bebê ficar sem líquido!

Explicação:  

Quando a bolsa rompe, o TP pode acontecer até 24horas,do mesmo jeito que pode ter TP e não romper e bebê nascer dentro da bolsa.

BEBÊ nascendo de PN ainda dentro da bolsa



Quando a bolsa rompe, a cabeça do bebe funciona como um tampão, então o liquido não acaba por completo e se mulher continuar se hidratando, o líquido continua se acumulando no útero. Além disso o colo do útero produz muco continuamente que serve como um lubrificante natural para o parto. 

CIRCULAR DO CORDÃO
Quando você pensa num bebê dentro da barriga com cordão no pescoço, está imaginando ele enforcando?

Pois acredite, ele não respira pelo pulmão dentro do útero, enquanto o cordão pulsa. O risco é o mesmo do cordão enrolado no pescoço como enrolado no dedinho do pé do bebê... o risco é o nó no cordão onde tem circulação que mantém o bebê BEM. Então, ele pode estar enrolado porém BEEEEMMM folgado no pescoço, como pode estar com risco muito maior por exemplo, enrolado no dedinho do pé porém tão apertado que impede a circulação do sangue para o bebê. 

"Para quem me pergunta sobre circular cervical, que ocorrem em quase 40% dos nascimentos. Esse bebê nasceu na água, com 4 circulares, apgar 9 e 10. Aqui está a foto logo depois de 3 circulares terem sido desfeitas." 
Ricardo Herbert Jones

Então o que determina um parto normal com ou sem uma, duas  ou até três circular de cordão do pescoço do bebê ou no dedinho do pé é o batimento cardíaco que é monitorado a todo tempo durante o TP.

Muitos outros mitos do parto tem por aí, suas dúvidas deixe aqui que vamos procurar esclarecer!

Uma curiosidade!
No resguardo porque existe a lenda de não lavar a cabeça?
Bom, acredita-se que a lenda existe e tinha um sentido mesmo na época de nossas avós e bisavós... pois os banheiros costumavam ser fora das casas, para tomar banho a mulher tinha que sair de seu lar, andar um bocado, tomar banho quente e retornar muitas vezes em dias frios, a friagem (choque térmico) podia causar danos a saúde, queda de imunidade, resfriados, gripe etc... mas hoje é totalmente indicado, pois a higiene faz parte da saúde da mãe e do bebê.

IMPORTANTE:

É o bebê que manda !!!! É ele que dá o sinal que está na hora de nascer, que está PRONTO!
É você a protagonista desta história de gestar e parir !!!
TP.

As mulheres de hoje tendem a ser excelentes parideiras, ou você acha que não existiu seleção natural entre nossas avós, bisavós e tataravós? Aquelas que sobreviveram aos partos na época domiciliares, com parteiras, sem intervenção médica, ficaram e vocês estão AQUI hoje pois herdaram a genética, pelo menos a GRANDE maioria! Ainda existe sim partos com riscos e é por isso e só por isso que a Cesaria está aí, cirurgia de médio porte, com riscos que não vale a pena ter a toa sem necessidade!

Acredite em você, na sua intuição!

Grupo Vínculo
(Encontro de 14/01/2012)
 








Somos um GAPP

Somos um GAPP

Fazemos parte!