Grupo Vínculo - Apoio voluntário especializado para cuidados com a vida

Períneo na gestação e parto

No último encontro para gestantes do Grupo Vinculo foi discutida a importância do períneo na saúde feminina, principalmente durante a gravidez e parto. Para quem não pode comparecer ou quem quiser relembrar o que foi dito, segue um pequeno resumo da aula:

Com a gravidez, o corpo da mulher sofre alterações fisiológicas progressivas e contínuas enquanto ela se prepara para vivenciar uma nova função em seu círculo familiar e social. E é no período pré-natal que a grávida deve ser orientada quanto às etapas que vivenciará, pois uma mulher bem preparada e acolhida pode contribuir satisfatoriamente para a evolução natural do parto.
E uma das orientações que devem ser passadas é sobre a importãncia de uma região especial do seu corpo: o períneo!
O assoalho pélvico (ou períneo, como é conhecido) é o conjunto de músculos, ligamentos e fáscias, que fecha a pelve e é perfurado por três orifícios: a uretra, a vagina e o ânus. Seu papel é o de sustentar vísceras pélvicas e abdominais, manter a função urinária e fecal, além de participar da função sexual e permitir a passagem do bebê no momento do parto. 
Durante a gestação essa musculatura é bastante exigida, uma vez que necessita manter o útero gravídico, ou seja, o útero e o bebê. Para que o assoalho pélvico desenvolva bem sua função na gravidez, é preciso que esteja forte e elástico, a fim de permitir a sustentação do bebê e sua saída no momento do parto, causando o menor estresse possível para o corpo da mãe.
Com a evolução da gravidez, a bexiga desloca-se, sendo comprimida pelo útero gravídico e o assoalho pélvico sofre uma sobrecarga e sua força muscular diminui, devido às alterações hormonais e biomecânicas normais da gestação. Essa situação, juntamente com outros fatores como presença de constipação intestinal crônica (comum nas mulheres), má postura, ganho excessivo de peso e hábitos urinários inadequados (como “segurar” a vontade de urinar por muito tempo), podem levar a gestante à incontinência urinária.
A incontinência urinária é a perda involuntária de urina, podendo ocorrer em 17 a 67% das gestantes, dependendo do período da gestação, podendo inicialmente se manifestar com desejo súbito e incontrolável de urinar, acompanhado de freqüentes idas ao banheiro, seja durante o dia ou à noite. É uma condição desagradável e constrangedora que causa nas gestantes o desejo de retomar o estado pré-gravídico o mais breve possível, visto que muitas delas entendem a incontinência como uma condição natural da gestação e que logo após o parto voltará ao normal.
Por muito tempo o parto normal foi considerado o grande vilão do assoalho pélvico, sendo responsabilizado pelo aparecimento de incontinência urinária e fecal. Porém, sabe-se atualmente que a gestação por si só já é um importante fator desencadeante e/ou agravante das incontinências, e não necessariamente o tipo de parto.
Uma musculatura perineal fraca pode levar à repetição de sintomas urinários nas gestações futuras e, posteriormente, ao longo da vida. Além disso, as lesões consecutivas à distensão do assoalho pélvico durante um parto mal-conduzido podem afetar elementos como pele, ligamentos, nervos e músculos.
Por isso, há necessidade de se trabalhar esses músculos durante toda a gravidez, para que no momento do parto ajudem na proteção contra lesões e disfunções do assoalho pélvico como a incontinência urinária e fecal, disfunções sexuais e prolapsos de vísceras. 
O preparo do períneo é simples. A mulher pode fazer exercícios de períneo em casa, no trabalho em qualquer lugar. Basta contrair a musculatura como se fosse segurar a urina/gases e soltar. (IMPORTANTE: NÃO é para tentar segurar a urina enquanto estiver urinando.. isso pode favorecer o aparecimento de infecções). Pode fazer as contrações mais rapidamente, ou mantendo alguns segundos antes de relaxar. É importante intercalar as contrações rápidas e lentas para trabalhar todas as fibras musculares do períneo. Além dos exercícios, a gestante a partir das 34 semanas pode fazer uma mssagem perineal, que ajudará aumentar a elasticidade do tecido. O vídeo abaixo mostra como deve ser feita:


Para aquelas que gostam de treinar para valer, podem abrir mão de um novo recurso usado no preparo do períneo: o EPI-NO. Ele é um perineômetro que ajuda alongar a musculatura e ajuda a mulher a treinar a expulsão da sonda. Para saber mais acesse o site: http://epi-no.com.br/


Caso tenha mais dúvidas a respeito do assunto escreva para gvinculo@gmail.com ou procure um fisioterapeuta especialista.
.

Somos um GAPP

Somos um GAPP

Fazemos parte!