Grupo Vínculo - Apoio voluntário especializado para cuidados com a vida

Baby Blues e Depressão Pós-Parto

.
.
A chegada de um bebê é, sem dúvida, um dos momentos mais felizes na vida de uma mulher, porém os desafios desta nova etapa podem ser difíceis de superar e muitas vezes surgem ansiedade, angústia, culpa e outros sentimentos negativos.

Após o parto acontecem várias mudanças físicas e emocionais na mulher. Os hormônios estrógeno e progesterona que durante a gravidez se encontravam em níveis elevados, caem drasticamente poucas horas após o nascimento do bebê e essas mudanças podem deixar as mães tristes, ansiosas, confusas ou com medo. Este quadro, conhecido como “baby blues”, é muito comum e atinge grande parte das mulheres que acabaram de ter um filho. Os sintomas são semelhantes aos da depressão, porém menos graves e de menor intensidade e não impedem a mulher de cuidar do bebê ou realizar os afazeres do dia a dia.

Sentimentos como tristeza, angústia, irritabilidade e aumento de sensibilidade são sintomas de tristeza pós-parto ou baby blues e devem desaparecer naturalmente em até 15 dias após o nascimento do bebê. Porém se os sintomas persistirem por mais tempo e se intensificarem pode tratar-se do início de um quadro de depressão pós-parto.

A depressão pós-parto tornar-se visível nas primeiras quatro semanas após o parto, alcançando sua intensidade máxima nos seis primeiros meses, podendo ser de intensidade leve e transitória ou agravar-se até uma neurose ou desordem psicótica.

Na depressão pós-parto existe um sofrimento muito intenso que persiste, com muita tristeza, angústia e ansiedade, entre outros sintomas. Nos casos mais graves recomenda-se a procura de um psicólogo que além da psicoterapia, poderá identificar a necessidade de auxílio médico no tratamento.

O contato com outras mães que também estejam no pós-parto, formando uma rede de apoio, ajuda a reduzir a ansiedade e a lidar com as alterações produzidas pela chegada do bebê sendo uma forma muito eficaz tanto para a prevenção como para o tratamento da depressão pós-parto. Atividade física também é recomendada como forma de prevenção e tratamento quando a depressão está instalada favorecendo a redução dos sintomas.


Mirian Kedma Marques - Psicóloga, colaboradora voluntária do GV
 e coordenadora do Grupo Vinculo Pós-Parto


Somos um GAPP

Somos um GAPP

Fazemos parte!