Grupo Vínculo - Apoio voluntário especializado para cuidados com a vida

Chupeta. Quando nasce um bebê também nasce a dúvida: dar ou não a chupeta para ele?


.
A chupeta traz benefícios, porém também pode trazer malefícios se for usada com muita freqüência, durante muitos anos. Quanto maior a duração, freqüência e intensidade de seu uso, maiores serão os problemas no futuro.

O bebê pequeno chora, e como chora... Chora por fome, frio, sono, quando está sujo, com cólica... O ideal é descobrir a razão do choro, e não só oferecer a  chupeta. A chupeta irá acalmar a criança, mas não irá satisfazer a sua real necessidade.

O ideal seria que o bebê, nos primeiros meses, se alimentasse somente no peito da mãe, tanto emocionalmente, como fisiologicamente. O ato de sugar é importante para o desenvolvimento dos músculos e dos ossos da face, além de acalmar a criança.  Crianças amamentadas com mamadeira, na maioria das vezes, terão sua fome saciada mas, ainda, terão a necessidade de sugar, para estimular o crescimento e desenvolvimento facial. Nesse caso, a chupeta pode trazer benefícios, desde que usada por um pequeno período.

O uso da chupeta pode fazer com que o bebê deixe de sugar o peito da mãe, já que é mais fácil sugar a chupeta do que o seio. A posição da língua, na amamentação no seio, é diferente da posição na sucção da chupeta. Isso poderá fazer com que, no momento da amamentação no seio, o bebê coloque a língua na posição da sucção da chupeta. Com isso, ele poderá não conseguir retirar o leite, ter fome, rejeitar o peito e, até mesmo, causar fissuras no bico do seio.

O grande problema da chupeta ocorre  quando ela é usada por  muitas  horas, diariamente,  durante muitos anos, porque a  criança fará, com frequência, uma  grande força na musculatura e na estrutura óssea dos maxilares, causando alterações nocivas no seu crescimento facial. Isso é bem diferente do caso do bebê que utiliza a chupeta por pouco tempo por dia, apenas segurando-a  entre os dentes para dormir e  parando com o hábito de usar a  chupeta até os 2 anos de idade. No entanto, existem especialistas que recomendam retirar a chupeta no primeiro ano de vida, outros dizem que é possível  esperar até  3 ou,  mesmo, até 4 anos.

O mau uso da chupeta pode gerar :
- Mordida cruzada posterior: os dentes superiores, de trás, ficam mais para dentro em relação aos dentes inferiores e o céu da boca fica mais estreito e profundo.
- Mordida aberta anterior:  os dentes da frente,  de cima e de baixo, não se tocam ao morder, fazendo com que a língua se projete para esse espaço, entre os dentes 
- Dentes permanentes tortos: devido a arcada superior não ter se desenvolvido corretamente, ficando estreita. Os dentes permanentes ficam sem espaço suficiente para a sua erupção e, com isso, nascerem tortos e/ou inclinados para fora.
- Maxilar inferior para trás: por não se desenvolver corretamente, ficando mais para trás do que deveria.

Abaixo fotos de pacientes que recebi em meu consultório, que usaram chupeta até os 6 anos de idade.



A sucção da chupeta deixa os músculos das bochechas, lábios e língua flácidos, sem força. Isso trará prejuízos na mastigação e deglutição. A criança não conseguirá mastigar facilmente os alimentos mais consistentes. 

O desenvolvimento da fala também será afetado, já que a criança não terá força na musculatura para executar alguns sons. Portanto, pense bem antes de oferecer a chupeta para o seu filho e, se oferecer, tome cuidado para que esse hábito não se torne um vício!


   
      Priscila Tripicchio – Ortodontista do Instituto Dentale – TopDent 
e colaboradora do Grupo Vínculo Materno. www.institutodentale.com.br

Somos um GAPP

Somos um GAPP

Fazemos parte!