Grupo Vínculo - Apoio voluntário especializado para cuidados com a vida

Vantagens da amamentação para o desenvolvimento da face

Mamar no peito é um excelente exercício para a criança. Contribui para o crescimento harmonioso da face e dos dentes.

Quando a criança é amamentada, ela não está só sendo alimentada, mas também, está fazendo um exercício físico importante para o desenvolvimento e crescimento facial. A amamentação trás benefícios para a respiração, deglutição, mastigação, fala e para o bom desenvolvimento da dentição da criança.
 O bebê, quando está mamando no seio, realiza movimentos que exercitam a respiração e a musculatura facial. A sucção do leite e a deglutição fortalecem os músculos faciais e direcionam a formação dos ossos do rosto. Amamentar ajuda no fortalecimento e tonificação da língua, bochechas e lábios.
A amamentação, quando feita no seio materno, é a primeira ginástica facial que faz com que os ossos do rosto possam ser estimulados corretamente. Esse exercício é o responsável inicial pelo crescimento harmonioso da face e da dentição. Usando mamadeira, esse exercício é quase inexistente e a preferência do bebê pela mamadeira vem da facilidade com a qual ele recebe o leite, principalmente quando este flui por um grande furo no bico da mamadeira.

Benefícios da amamentação

Desenvolve o sistema imunológico do bebê
O leite materno protege o organismo do bebê contra infecções, como as otites e as infecções intestinais, evitando assim as diarréias.
Ajuda no desenvolvimento da fala
A posição da boca nos mamilos estimula os pontos articulados, responsáveis pela produção dos fonemas (sons).
Estimula o crescimento e desenvolvimento adequado da musculatura oral
A musculatura oral adequada resultará em um bom desenvolvimento da respiração, deglutição, mastigação e fala.
Fortalece o vínculo mãe e bebê
O contato com a mãe, pelo aleitamento materno, faz com que o bebê se sinta mais seguro e tranquilo, evitando o choro e a ansiedade.
Diminui o risco de alergia
Crianças alimentadas no peito da mãe têm menos risco de terem asma. Crianças que, desde cedo tomam o leite de vaca, aumentam a probabilidade de se tornarem alérgicas, pois as proteínas desse leite estão associadas à dermatite, rinite, sinusite e amigdalite.
É o alimento mais completo para o bebê
A mãe não precisa se preocupar em complementar a alimentação. Nem ao menos se preocupar em oferecer água. A amamentação feita no peito faz com que o bebê receba toda a nutrição que ele precisa para obter um crescimento saudável.
Evita doenças futuras
Um bebê amamentado no peito pode evitar, durante sua vida, algumas doenças como a obesidade, o diabetes e a hipertensão. 
Dificilmente o bebê terá anemia
A concentração de ferro no leite materno é bem maior que a encontrada em qualquer outro tipo de leite.
Evita cólicas
O leite materno tem proteínas que são facilmente digeridas pelo organismo do bebê. Isso não acontece com o leite de vaca, que tem proteínas de difícil digestão.
Amamentar diminui risco de câncer de mama
As mulheres que amamentam seus filhos, por mais de seis meses, têm menos chances de desenvolver câncer de mama.
A relação entre o aleitamento materno e o desenvolvimento facial
É importante lembrar que a amamentação é o primeiro exercício da musculatura facial (lábios, língua e bochechas) do recém-nascido, porque o trabalho muscular tem grande importância para o estímulo do crescimento harmônico da face.
A amamentação estimula o desenvolvimento dos maxilares, já que o bebê é obrigado a:
  1. Manter os lábios firmes ao seio materno para evitar o vazamento do leite,  promovendo o fortalecimento da musculatura labial, que é responsável pelo correto fechamento do lábio.
  2. Usar a língua para deglutir, estimulando o crescimento transversal (largura) do maxilar superior e a maturação da musculatura lingual (evitando problemas na fala e deglutição).
  3. Levar a mandíbula (arcada inferior) para frente e para trás, repetidamente, para “ordenhar” o seio materno, estimulando o crescimento do maxilar inferior  para frente.
E ainda precisa respirar pelo nariz, ao mesmo tempo. Isso estimula o desenvolvimento da região nasal, garantindo uma passagem mais ampla para o ar, evitando, com isso, amigdalite e pneumonia, entre outras doenças respiratórias.

Um bom desenvolvimento das vias respiratórias afasta a chance da criança se tornar uma respiradora bucal. Quando a criança respira pela boca, os dentes ficam ressecados e mais expostos à cárie, as gengivas ficam inflamadas, os maxilares tendem a sofrer deformações,  os dentes podem ficar tortos, aumentando ainda mais o risco de cárie.

O aleitamento materno previne a cárie
A desnutrição crônica tem sido apontada como causa de maior risco de cáries. Por ser o alimento que oferece a nutrição ideal, o leite materno é indicado para o bebê, especialmente nos primeiros 6 meses de vida, como alimentação exclusiva.

Crianças amamentadas no seio da mãe têm menos chances de desenvolver:
- atresia da maxila (arcada superior estreita)
- mordida aberta (dentes anteriores não se tocam)
- retrusão mandibular (queixo pequeno)
- apinhamento dental (falta de espaço para os dentes)

Bebês são mais tranquilos no seio da mãe
A criança fica mais tranqüila quando está no seio da mãe, sem ter que compensar a ansiedade com o bico artificial, bico este que, se utilizado inadequadamente, pode causar os problemas citados acima.

A amamentação no seio prepara o bebê para a mastigação
O bebê, que é aleitado no peito, além de satisfaz suas necessidades nutritivas e afetivas, também recebe um “treinamento” para o segundo reflexo da alimentação, que é a mastigação. Depois que terminar o período de amamentação, o início da mastigação correta continuará a tarefa de exercitar ossos e músculos.
A criança que faz uso de mamadeira costuma tomar-se sua companheira ao longo de anos, habituando-se a uma dieta mole e adocicada, que aumenta o risco de cáries (cárie de mamadeira) e, além disso, tende a recusar alimentos que requeiram mastigação.


Video: O que a amamentação tem a ver com a ortodontia 


Para poder desenvolver um bom trabalho em Odontologia Neonatal, cujo objetivo específico é a prevenção de inúmeras doenças e alterações que as crianças podem desenvolver no futuro, é necessário que o cirurgião dentista tenha uma formação específica, com conhecimento técnico de manejo clínico do aleitamento materno e procedimentos odontológicos com gestantes, puérperas e bebês. Indico a colega de trabalho, a Dra Karina Falsarella, que é odontopediatra fundadora do Grupo Vínculo e especialista em odontologia neonatal e aleitamento materno pela ABONAM. 


 "É importante para o bebê ser aleitado com leite materno, desde a primeira hora de vida, trazendo muitos benefícios, como: redução da mortalidade infantil, melhor nutrição, redução de doenças infantis, melhor desenvolvimento neurológico, melhor qualidade de vida, promoção de vínculo afetivo entre mãe e filho, desenvolvimento dos órgãos fono-articulatórios, desenvolvimento do sistema estomatognático." ressalta Dra Karina.

Somos um GAPP

Somos um GAPP

Fazemos parte!